Jardim

Lisianthus


Lisianthus: características gerais


Lisianthus, comumente chamado Eustoma, pertence à família das Gentianaceae e contém todas as espécies de plantas herbáceas típicas do Caribe, América do Sul e México. É caracterizada por folhas verdes e grandes, com tons de azul. Durante o verão, produz caules das quais se desenvolvem inflorescências em forma de funil ou trompete, com cores variando entre lilás e roxo. Às vezes, porém, é possível notar flores de cores diferentes (vermelho, rosa, amarelo) nascidas de espécies híbridas. Esta planta pode ser plantada em vasos e no jardim. Antes de plantar esta planta, é necessário tomar algumas precauções e conhecer as temperaturas apropriadas, quando regá-las, como fertilizá-las etc.

Cultivo e rega



Embora a planta não possa ser definida como uma espécie rústica, ela precisa de cuidados especiais para permitir que ela cresça e se desenvolva normalmente. Antes de tudo, é bom saber que ele não gosta de baixas temperaturas; portanto, se ocorrer uma situação semelhante, a planta deve ser movida para um local protegido, longe de fontes de calor (fogões, radiadores, bombas de calor ou outros). Em vez disso, eles gostam de ser expostos à luz direta do sol, sem a expor durante as horas mais quentes do dia. Mesmo a rega é uma prática indispensável para manter Lisianthus. Durante a primavera e o verão, a rega deve ocorrer com freqüência, lembrando-se de deixar o solo secar entre a primeira e a segunda regas. Durante a temporada de outono e inverno, a rega deve ser reduzida porque a terra demora mais para secar. Duas outras coisas essenciais são: evitar a estagnação da água no pires e pulverizar as folhas durante a estação quente, criando assim uma espécie de clima úmido.

Repotting, adubação e poda



O repotting de Lisianthus deve ser realizado na primavera aproximadamente a cada 2/3 anos. Não precisa de um solo específico; você pode misturar turfa e areia com terra fértil, para facilitar a drenagem durante a rega, porque esta planta não tolera a estagnação da água. Sempre a cada 2/3 semanas é necessário fertilizar a planta, da primavera ao verão, com fertilizante misturado com água para a rega. Ele deve conter nitrogênio, ferro, fósforo, potássio, manganês, zinco, cobre, molibdênio e boro, elementos químicos essenciais para o crescimento e nutrição da planta. No que diz respeito à poda, ela não deve ser realizada, basta eliminar as folhas secas ou danificadas, a fim de evitar ataques de parasitas ou o desenvolvimento de doenças prejudiciais a Lisianthus.

Pragas e doenças


Doenças ou ataques de parasitas são inimigos muito temidos por Lisianthus. Para evitar que a planta seja danificada, basta dar alguns pequenos passos. Antes de tudo, é necessário analisar a cor das folhas; se eles tiverem manchas claras que, com o tempo, levam à secagem, a causa pode ser o cogumelo Oidiopsis. Nesse caso, basta usar um fungicida. A presença de pó acinzentado é devida à presença de míldio que floresce em um ambiente tipicamente úmido. A solução para este ataque é dada pelo uso de fenilamidas. Embora seja impedido, mantendo uma certa distância entre as plantas, para que o ar circule e não crie muita umidade. O Lisianthus pode ser atacado pela aranha vermelha e, sua presença é denotada pela presença de teias de aranha, mas também por manchas amarelas nas folhas. Este tipo de infestação é evitado pulverizando a folhagem da planta.


Vídeo: LISIANTHUS, una EXÓTICA que debes TENER. Cuidados, REPRODUCCIÓN, Cultivo! (Pode 2021).