Móveis de jardim

Projeto de jardim privado


Avalie os espaços disponíveis


O projeto de jardins particulares não pode desconsiderar, em primeiro lugar, a avaliação dos espaços disponíveis. A primeira coisa a fazer, portanto, na criação de um espaço verde, é fazer as medições da terra em que você trabalhará, pois o projeto obviamente terá que ser adaptado ao espaço disponível. Por outro lado, é possível recorrer a alguns truques visuais para fazer o jardim parecer maior do que realmente é: por exemplo, concentrando as plantas em uma parte periférica e deixando o gramado livre no centro; ou colocando diferentes trepadeiras que crescem para cima, para economizar espaço e aumentar a sensação de profundidade. Na presença de terrenos muito grandes, como por exemplo um jardim rural, é necessário lidar com a necessidade de tratá-lo adequadamente. A solução, neste caso, é muito simples, no sentido de que é suficiente delimitar a superfície que pretendemos ocupar com uma borda, uma sebe ou vasos simples, de modo que a parte excluída enfrenta, de maneira muito trivial, parte do paisagem. A combinação de dois estilos diferentes pode ser uma solução criativa para animar um jardim muito grande, mas deve ser evitada em espaços pequenos.

A topografia




Outro fator a ser considerado no projeto de jardins particulares diz respeito à topografia, ou seja, o tipo de terreno em que você trabalhará. Portanto, não devemos cometer o erro de tentar adaptar o terreno às nossas intenções originais. Em vez disso, será melhor se comportar da maneira oposta, ou seja, partindo da verificação das condições do espaço para identificar a solução mais adequada. Em resumo, é evidente que em uma superfície móvel um projeto regular e rígido pode estar desafinado, assim como uma superfície totalmente plana dificilmente aceitará irregularidades de uma maneira esteticamente agradável. Portanto, é preferível aproveitar as particularidades do local, por exemplo, criando terraços na presença de encostas particularmente íngremes. A esse respeito, também devem ser consideradas as encostas, também porque não se diz que uma planta é capaz de crescer em colinas ou encostas. A construção de muros baixos ou aterros fornecerá um excelente remédio para essa situação. Mas nada impede, no entanto, alternar áreas pavimentadas e áreas cultivadas em solos planos, com espécies de jardins clássicos e plantas de jardins com pedras. O projeto, portanto, deve levar em consideração o ponto de partida.

Projeto de jardim privado: terra nova ou jardim reciclado?




Nada impede, de fato, a criação de um novo jardim a partir de um já existente, melhorando-o ou enriquecendo-o: enfim, ao começar do zero, será importante estabelecer, antes de tudo, uma abordagem geral, na presença de um jardim já existente você terá que se adaptar ao que a terra oferece. Não que isso represente uma desvantagem: por exemplo, você pode tirar vantagem da situação mantendo as árvores já presentes, obviamente apenas se estiver em boas condições, ainda mais se forem árvores seculares, que serão aprimoradas e destacadas. Além disso, uma árvore desse tipo também pode ter importância prática, por exemplo, obscurecendo uma paisagem desagradável, protegendo os espaços do vento ou amortecendo o ruído da estrada. E então, por que desistir de uma árvore adulta, considerando o tempo necessário para cultivá-la? Mesmo os arbustos, no entanto, podem ser explorados, na prática revitalizados por uma operação de poda: no caso de não se saber como proceder, é aconselhável contar com um profissional ou um especialista. Entretanto, não deve haver escrúpulos na presença de plantas velhas e sofrimentos, pois as doenças podem se espalhar e se espalhar: melhor eliminá-las no menor tempo possível. Por outro lado, na eventualidade de um jardim ser criado do zero, será bom avaliar o terreno: se colocado lado a lado com uma casa recém-construída, será formado por detritos de construção, que deverão ser eliminados e substituídos por um bom solo, por pelo menos trinta ou quarenta centímetros de altura. Claramente, mesmo o microclima merece ser verificado com antecedência, significando o conjunto de precipitações, temperaturas e condições climáticas que afetam o espaço verde. Pense em como a influência do vento pode ser modificada pela presença de uma colina, um grupo de carvalhos ou um palácio, ou como um edifício pode dar vida a uma sombra capaz de modificar a temperatura de maneira sensível. É claro, em suma, que um jardim localizado no sopé de uma colina se mostrará mais frio do que um jardim localizado no topo dela, já que o ar quente sobe, bem como uma exposição voltada para o sul será menos ensolarada. em comparação com uma exposição inclinada. Vale lembrar, no entanto, que os ventos, ao contrário do que se pensa, são intensificados pelas paredes. No momento em que colidem com um obstáculo imóvel, como por exemplo uma parede, de fato, eles dão origem a turbulências particularmente intensas que correm o risco de causar sérios danos às plantas. Muito melhor, portanto, contar com um hedge, que também contribui para a criação de um microclima.


Vídeo: FAZENDO UM JARDIM RESIDENCIAL! Nô Figueiredo (Pode 2021).