Também

Enxerto por aproximação


Enxerto por aproximação


O enxerto por aproximação representa o tipo mais antigo de enxerto, o primeiro praticado pelo homem observando desenvolvimentos aleatórios na natureza. Esse tipo de enxerto é realizado simplesmente combinando o porta-enxerto com o descendente, que neste caso permanece ligado à planta mãe, para depois ligá-los, fazendo com que os dois se liguem. Para facilitar esta operação, uma parte da casca é removida das duas plantas e, em seguida, as áreas descobertas são perfeitamente compatíveis, de modo que são completadas com uma ligadura, para que não se movam. Para acelerar a soldagem, também é possível fazer um corte no rebolo logo abaixo do ponto de enxerto, o que corresponde a cerca da metade do diâmetro do galho. Uma vez enraizada (passará cerca de um ano), o descendente é separado da planta mãe, completando o corte sob o ponto de enxerto e removendo simultaneamente a parte aérea do porta-enxerto, eliminando também os brotos presentes nela. Esse enxerto pode ser realizado a cada estação do ano, pois não inclui descolamentos da planta mãe e é usado principalmente com vasos de plantas que podem ser facilmente unidos.
Além disso, no caso do cultivo de árvores frutíferas, esse método pode ser usado para formar cadeias de suporte entre uma árvore e outra, evitando assim o uso de suportes plantados no chão.