Também

Processamento, trituração e nivelamento do solo com ancinho


Processamento, trituração e nivelamento do solo com ancinho


Muitas vezes, antes de plantar a grama, é necessário mover a terra para colocar o fundo na condição mais adequada às nossas necessidades e projetos. As obras de terraplenagem sempre destacam os horizontes das terras virgens, inadequadas para a fábrica de grama. Se não houver modificações totais ou parciais do substrato, antes de prosseguir com esses movimentos, é bom remover e separar a camada mais fértil do solo que fica na superfície por pelo menos 15 a 20 cm: uma vez concluído o movimento da terra, o a camada removida pode ser recolocada na superfície com formato definitivo. Quando houver pedras grandes e grandes no chão, é bom prosseguir com a colheita, manualmente, se a superfície permitir, ou em grandes extensões usando máquinas específicas. Se houver muitas pedras a serem coletadas, será avaliado o uso de equipamentos “interrasassi”, que conseguirão afundar quase todas as pedras no chão. A próxima operação consiste em nivelar o solo e nivelar, ou seja, a uniformidade da superfície, para que seja a mais regular possível e esteja pronta para receber a semeadura. Uma vez preparado o terreno, não será difícil montar o canteiro. Cuidado, porém, essa pequena camada desempenha um papel muito importante: a germinação das sementes, o crescimento e a duração do gramado dependem dos cuidados prestados no fornecimento de materiais de boa qualidade e no preparo do canteiro. A preparação do canteiro envolve trabalhar o solo a uma profundidade de cerca de 30 a 40 cm: essa lavoura deve ser realizada de modo a deixar o solo exposto à ação dos agentes atmosféricos durante todo o inverno ou o verão inteiro. Em pequenos jardins, por outro lado, limita-se a uma lavoura leve e, mais frequentemente do que não, a moagens que afetam apenas os primeiros 15 a 20 cm do solo. A lavoura deve ser realizada com uma série de cruzamentos superficiais em ângulos retos para romper o solo o máximo possível antes da semeadura e permitir uma melhor distribuição dos melhoradores, corretivos e fertilizantes do solo. Além disso, esses processos, se realizados a intervalos regulares, permitirão a eliminação de muitas ervas daninhas. O melhorador de solo é uma substância que, trazida para as quantidades certas no solo, modifica positivamente as características físico-químicas. A areia, por exemplo, espalhada pelo solo, melhora a preservação da frescura natural, promove o nascimento de sementes e evita a formação de crostas, o que dificultaria o crescimento de nossa jovem campina. A turfa, por outro lado, sendo feita de material vegetal, possui uma capacidade de retenção de água que é muito útil para o crescimento da grama. A última operação antes da semeadura é o enterro dos fertilizantes que não foram distribuídos durante o processamento anterior: este trabalho pode ser feito manualmente com ancinhos ou disco ou grade, dependendo da superfície a ser tratada. Para esse fim, podem ser usados ​​adubo maduro, composto de resíduos de plantas, solos de turfa e fertilizantes químicos do tipo agrícola. Finalmente, antes da semeadura, é bom selecionar as essências corretas com base no fator climático da área e no tipo de uso ao qual a grama será destinada.