Jardinagem

Fotossíntese e respiração das folhas


A folha entre fotossíntese, respiração e pigmentos coloridos


A folha é o órgão da planta que contém em si o maior número de funções reguladoras da vida vegetal: responsável pela síntese de açúcares, produção de oxigênio, transpiração, gutação, as maravilhosas cores outonais de algumas espécies e importantes fonte de alimento para animais e homens.
Fundamental para todos os jardineiros conhecerem a folha em profundidade: não é de fato o primeiro a revelar o mal-estar das plantas, com sua secura, secura e sinais das patologias mais perigosas?
Se o tronco fala da história da planta e seu crescimento ao longo do tempo, a folha fala do presente da planta e de sua vida naquele momento.
Sem se perder nos meandros da botânica, propõe-se uma análise cujo assunto é o órgão foliar em geral e suas funções.


Estrutura




Uma folha é formada por uma lâmina sulcada por nervuras, que fluem para o pecíolo, que é uma espécie de conexão com o sistema hidráulico dos galhos.
Nem todas as folhas têm a mesma estrutura, algumas têm lâminas modificadas ou são apresentadas sem pecíolos e outras têm partes ampliadas que as tornam muito diferentes do folheto clássico que uma criança pode desenhar no caderno da escola.
Na folha, tecidos tegumentais estão presentes, o que a protege de agentes externos e também tem a função de regular as trocas gasosas. Depois, há um tecido especial chamado parênquima da clorofila, no qual ocorre a fotossíntese.

Fotossíntese



A clorofila está presente em todas as partes verdes da planta e, em particular, na folha, um pigmento capaz de capturar raios de luz e explorar sua energia:
6 moléculas de água + 6 moléculas de dióxido de carbono são transformadas em molécula de glicose com a liberação de 6 moléculas de oxigênio, no processo químico mais famoso do mundo na fotossíntese da clorofila (do grego foto = luz e síntese = construção).
6 CO2 + 6 H2O → C6H12O6 + 6 O2
A planta é composta inteiramente de substâncias derivadas da glicose: celulose, amido e tudo o que pode ser útil para a planta é criado na folha.

Transpiração


É o processo pelo qual o vapor d'água é perdido da superfície da folha. Das raízes, a água viaja em tecidos condutores que as transportam até as folhas, que funcionam como uma espécie de válvula para o encanamento da planta. O vapor escapa pelos estômatos e a quantidade de saída é diretamente proporcional à abertura dos estômatos.

Respiração




É o processo inverso da fotossíntese, utiliza açúcares e oxigênio para gerar energia, acontece em todas as partes da planta não expostas à luz, não apenas nas verdes. Portanto, a respiração também ocorre nas folhas; consumir açúcar produz a energia da planta.
A respiração consome oxigênio; portanto, uma planta à noite ou em geral em ambientes com pouca luz remove o oxigênio da atmosfera; daí a explicação científica do aviso popular que sugere não colocar plantas nos quartos.
Respiração, fotossíntese, transpiração e gutação regulam a vida de nossas plantas: a saúde de uma planta e seu crescimento dependem da relação planta-ambiente, umidade atmosférica, precipitação, irradiação solar e condição radical influenciam os processos acima mencionados, determinando os valores de desenvolvimento.
Um exemplo:
uma muda de tomate, cultivada em vasos, recebeu abundante irrigação e fertilização com nitrogênio; consequentemente, houve um desenvolvimento excessivo da parte epigeal e, em particular, do aparato foliar.
No verão, após um período de seca, a planta fecha os estômatos para minimizar a perda de água e, consequentemente, retarda a atividade fotossintética, diminuindo a produção de glicose.
A respiração, por outro lado, não para, porque é independente da atividade fotossintética e continua a consumir os açúcares da planta. Resumindo e simplificando, a planta consome mais do que produz, criando um desequilíbrio que resultará em menos produção da fruta.
Se a seca persistir com uma planta com uma parte epigeal muito exuberante, será uma desvantagem.

Guttation


Quando a transpiração não expele o vapor de água devido à umidade atmosférica excessiva, as folhas expelem diretamente a água que cai com o processo de gutação. Isso acontece mesmo quando as raízes absorvem muita água.

Fotossíntese e respiração das folhas: Pigmentos




Por que as folhas são verdes, em algumas espécies vermelhas, ou variegadas e mudam de cor para a alternância das estações do ano?
A coloração das folhas está ligada à presença de 4 pigmentos que, além de desempenhar funções específicas, colorem a superfície das folhas.
clorofila = verde
antocianinas = vermelho
carotenos = laranja
xantofilas = amarelo
No outono, com o desaparecimento gradual da clorofila devido à diminuição da atividade fotossintética, os demais pigmentos prevalecem, daí as diferentes tonalidades da folhagem do outono.