Frutas e Legumes

Uvas para vinho


Características gerais das uvas para vinho


As uvas para vinho vêm na forma de bagas, que são pequenas bagas esféricas, elípticas ou ovóides. A cor, que depende da variedade da uva, pode ser amarelo-esverdeado, rosado, vermelho-arroxeado, preto e preto-azul. A iluminação e outros fatores ambientais têm impacto na cor, principalmente na intensidade. Um punhado desse tipo pode pesar em média de 150 a 300 gramas, embora, em alguns casos, possa pesar até 2 kg (por exemplo, os cachos do Tuscan Trebbiano têm esse peso). Os cachos não são muito densos (é chamado cacho "spargolo"), onde as bagas são escassas e livres, não estão presas ou muito densas (cacho "apertado"), nas quais as uvas são muito pressionadas para esmagar e deformar a baga vizinha. . Geralmente o cacho "apertado", muito denso com bagas, é típico dessas variedades.

Propriedades benéficas



É uma fruta muito saborosa e muito generosa do ponto de vista nutricional. A fruta é muito rica em água (cerca de 80% do total) e possui uma quantidade considerável de carboidratos (cerca de 15%) - frutose e glicose. Além disso, na fruta há uma boa quantidade de fibras (2%) e proteínas. E finalmente sais minerais (potássio, fósforo, manganês, cobre) e vitaminas (C, B1, B2, PP e A). Graças aos taninos, esta fruta apresenta boas características antioxidantes e anti-mutagênicas, que ajudam a prevenir bem os efeitos do envelhecimento da pele. Até a alta concentração de polifenóis ajuda a pele: ela permanece mais jovem, fresca e neutraliza a degradação do colágeno e da elastina. Por último, mas não menos importante, deve-se enfatizar a ação dos sais minerais presentes na uva, úteis para digestão, para estimular a secreção da bile e produzir hemoglobina.

Produção de vinho (vinificação)



As uvas, através de um complexo processo bioquímico, são transformadas em vinho. O processo de transformação ocorre graças às leveduras contidas na casca das uvas, que transformam os açúcares das uvas em álcool. Existem procedimentos diferentes para o processamento, cada um com características específicas e é implementado dependendo da vinha e do tipo de produto a ser obtido. Essas técnicas são sete, ou seja: em branco, em vermelho, com maceração carbônica, em quente, contínuo, em redução e vinho rosé. Os polifenóis, antioxidantes especiais, são obtidos durante a fase de maceração, obtida no processo de fermentação do mosto. Além disso, a fermentação do mosto tem tempos relacionados ao tipo de produção de vinhos que pretende produzir: um novo vinho será obtido com uma fermentação de cinco dias, enquanto um tipo a ser preservado por mais tempo também pode ser submetido a até vinte e um dias de tratamento. . Em média, 100 g de frutose (açúcar de uva) produz 51 g de etanol (álcool etílico), com um rendimento de volume de 65%.

Uvas para vinho: As melhores e mais preciosas uvas para vinho



A Itália tem um recorde notável, pois possui mais de 450 videiras nativas. Mencionaremos alguns dos mais valiosos e conhecidos. Nebbiolo. Tem uma baga pequena, uma pele fina e uma cor roxa escura; sua carne é doce e levemente acídula. Esta videira cresce bem em solos marinhos, ricos em cálcio ou em solos argilosos. No primeiro caso, produz um vinho robusto, enquanto no segundo teremos um produto com menos personalidade. Desta variedade vêm os muito famosos Barolo e Barbaresco. Brunello ou Sangiovese grosso. Cachos grandes com bagas médias-grandes. A cor da pele é arroxeada e a polpa rosa. Muito cultivada e valiosa em toda a península. Nero d'Avola. Um vinho que agora é conhecido e apreciado em todo o mundo. A baga é pequena, açucarada e resistente ao calor. O componente polifenólico é muito bom, o que, combinado com os taninos doces presentes, dá origem a um vinho redondo e estruturado. Merlot. Uvas sazonais colhidas pela primeira vez. Bagas azul-preto, sabor neutro. O famoso "Petrus" é produzido a partir desta variedade. Cabernet. A fruta tem uma casca muito resistente e uma polpa carnuda. Produz vinhos de boa estrutura, às vezes um pouco agressivos, mas valiosos.