+
Jardinagem

O jardim em fevereiro


O que fazer para bordas mistas, gramíneas e gramíneas perenes.


É hora de limpar para incentivar o crescimento vegetativo. Esta operação pode ser realizada no início do mês nas áreas mais amenas, enquanto é melhor aguardar a terceira década nas regiões norte e nas montanhas. A cobertura vegetal baseada em folhas ou outros resíduos de plantas deve ser removida; na base das plantas, encontraremos novamente parte do melhorador de solo que havíamos espalhado no outono: vamos absorvê-lo no chão com uma cobertura leve, adicionando um fertilizante de liberação lenta.
É também o momento de cortar na base a vegetação seca ou arruinada da safra anterior, principalmente a vivaz e a grama: o primeiro calor induzirá a produção de novas peças fundidas. Também podemos começar com as novas plantas: os riscos de geadas e umidade excessiva devem ser gradualmente reduzidos.
Também prosseguimos com a divisão e o replantio para os tufos muito ampliados ou com porções envelhecidas.

Sementeira de plantas anuais e perenes


De janeiro a março, os melhores resultados são obtidos com a semeadura anual. O início precoce dá a vantagem da floração precoce, mas atenção especial deve ser dada às temperaturas mínimas necessárias para a germinação. Outro aspecto que não deve ser subestimado é a quantidade de luz: plantas finas e claras são frequentemente obtidas, incapazes de se sustentar e crescer mais. Então, lembre-se, assim que virmos os primeiros folhetos, mover as bandejas para uma área extremamente brilhante, possivelmente um parapeito da janela voltado para o Sul. A prática de cobertura é fundamental: diminui o crescimento, mas permite o crescimento e a copiosa proliferação.
Também podemos semear perenes, tendo em mente que, para obter amostras de bom tamanho, você terá que esperar pelo menos na primavera seguinte: o ideal é prosseguir no outono (período recomendado também para as bienais).

O que fazer com arbustos e árvores decorativas



Na primeira parte do mês, principalmente no norte, temos que esperar pacientemente pelas últimas ondas de geada: verificamos as capas dos espécimes mais delicados. Os novos jatos (induzidos pelo primeiro calor) podem ser danificados mesmo por uma noite fria e ventosa, comprometendo a amostra por toda a temporada. Podemos nos dedicar silenciosamente à poda, aumentando as temperaturas noturnas permanentemente acima de zero. Começamos com os espécimes expostos ao sul e mais resistentes e depois nos movemos para aqueles ao norte e mais sensíveis. Lembremos que, nesse período, é necessário podar apenas as plantas que florescem nos galhos produzidos no ano, limitando-nos, para outros, à mera limpeza de galhos secos ou doentes. Para aqueles que florescem neste momento, aguardamos o murchamento das corolas e o aparecimento das folhas.
Ainda é um bom momento para as plantas de arbustos e árvores com raízes nuas: vamos sempre garantir que o solo não esteja congelado ou muito úmido.

O jardim em fevereiro: Outras obras



Uma vez terminadas as podas, a serem realizadas sempre em dias quentes e secos, é aconselhável fazer um tratamento com tinta à base de cobre nos galhos e no solo circundante. É uma prática importante evitar o aparecimento de cânceres atriais e reduzir a quantidade de esporos nos patógenos.
Em áreas amenas, talvez já seja hora de levar as plantas que abrigamos para o inverno do lado de fora: limpe-as das partes secas, exponha-as à luz solar e forneça um fertilizante líquido nitrogenado para favorecer o crescimento vegetativo.
Também podemos iniciar a manutenção do gramado, distribuindo um fertilizante nitrogenado, eliminando o musgo e, no final do mês, procedendo a uma transemina se houver áreas escassas.