Frutas e Legumes

O pomar em fevereiro


O pomar em fevereiro


Com fevereiro, avançamos para o final do inverno: os dias começam a se alongar e as temperaturas, principalmente as diurnas, não são mais tão extremas. Mas não devemos ser muito otimistas: é precisamente neste período que, muitas vezes, ocorrem as quedas de neve mais abundantes. Além disso, as árvores podem ser induzidas a vegetar pelo calor e pela poda precoce, antes de serem danificadas por geadas repentinas. Portanto, devemos agir com prudência, avaliando nosso microclima e prestando atenção especial às previsões do tempo.

Podas e enxertos


Antes de começar, precisamos avaliar cuidadosamente nosso clima. Geralmente, nas regiões sul e costeira, essas operações podem ser realizadas já na primeira década; em áreas mais frias, é aconselhável aguardar o segundo ou terceiro ou adiar para o início de abril (especialmente nas alturas). Em todos os lugares é essencial escolher dias quentes e secos, alguns dias após a última chuva.
Podemos operar na maior parte das essências, em particular naquelas que darão frutos entre a primavera e o outono: frutas venenosas, drupáceas e pequenas. Lembre-se de eliminar cuidadosamente todas as partes afetadas pelos patógenos (queimando-as, se possível).
Também é um bom momento para enxertos, principalmente triangulares e divididos, e monitoramos as operações realizadas no verão e outono anteriores.

Novas instalações



O período ideal para novas entradas é de meados do outono ao início da primavera, com exceção de meses de frio intenso. Em áreas amenas, podemos retomar essa atividade desde a primeira década; em outros lugares, é bom esperar pelo menos a terceira. Para plantas grandes, recomendamos arar toda a área, incorporando uma boa quantidade de esterco temperado: melhoraremos a textura do solo e a atividade biológica. Também avaliamos, especialmente para frutas de caroço, que existe uma boa drenagem: um solo compacto é frequentemente a causa de patógenos radicais e da coleira. Nesse caso, também incorporamos areia, para clarear e arejar.
No caso de implantes únicos, vamos nos limitar a cavar buracos com pelo menos 50 cm de largura e profundidade e quebrar as paredes em profundidade, usando um forcado. Lembre-se de manter o colar no nível do solo.

Pragas e doenças


É o momento ideal para realizar tratamentos preventivos. Graças à ausência de folhas, podemos avaliar cuidadosamente o estado da casca e dos galhos, eliminando as partes comprometidas e frutos podres dos anos anteriores. Além disso, as temperaturas não são mais tão baixas (esperemos até o dia 8 ° C) e é possível prosseguir com diferentes pesticidas.
Quase todas as árvores frutíferas (ainda mais as recém-podadas) se beneficiam de um tratamento com cobre, mas evitando a chuva antes ou depois. Também é muito útil um purê de óleo branco ativado por um inseticida para as etapas de inverno (pelo menos 20 dias após o cobre).
Essas intervenções nos permitirão reduzir significativamente o impacto dos patógenos mais frequentes.

O pomar em fevereiro: colheita e adubação



Os frutos que atingem a maturidade em fevereiro ainda são poucos: somente nas regiões do sul prosseguimos com a coleta de frutas cítricas, principalmente tangerinas, laranjas e limões.
Agora é a hora de nutrir os produtores de frutas, garantir bom desenvolvimento e produção abundante. Se no outono favorecemos a fertilização orgânica, ideal para melhorar o solo física e biologicamente, agora é hora de distribuir um bom produto de síntese rico em macro e micronutrientes. Existem bons produtos de liberação lenta no mercado: seguindo as instruções de cada produtor individual de frutas, teremos uma nutrição constante e gradual, garantida por pelo menos 3 meses. Como alternativa, podemos considerar produtos específicos. Lembremo-nos também de acréscimos apropriados no caso de os anos anteriores apresentarem algumas deficiências.