+
Frutas e Legumes

Cuidado do pomar em setembro


O que podemos coletar?


Nesse sentido, setembro é um dos meses mais ricos. Se as temperaturas ainda estiverem altas, sugerimos prosseguir de manhã ou à noite, principalmente para as frutas mais delicadas; a partir do dia 15, é possível prosseguir a qualquer hora do dia. Em muitos casos, a maturação será escalar e, portanto, intervirá nas árvores únicas com cadências regulares de 3-5 dias. Pedras de granizo e chuva forte ainda são possíveis: mantemos as redes de proteção. Retomamos o trabalho pelo menos um dia após a última chuva e eliminamos ou consumimos prontamente os frutos que estão danificados.
Entre as culturas mais significativas, mencionamos: maçã e pereira de verão e outono, azeitonas precoces, pêssegos tardios, ameixas, figos, avelãs, caquis, laranjas precoces, castanhas.

Trabalhos gerais, poda, enxertos



O trabalho de manutenção de rotina nas parcelas continua: se elas estiverem cobertas de grama, deve ser feito pelo menos um corte mensal, distribuindo uniformemente o colapso. Culturas como azeitona ou avelã requerem solo livre, mas limpo e permeável: vamos garantir que a superfície não seja compacta e se fizermos moagem.
Nas regiões sul e nas costas, é o momento do amadurecimento dos citrinos: se quisermos, podemos intervir com os hormônios reguladores do crescimento apropriados: a colheita será mais escalar e conservável.
É um bom momento para preparar as parcelas para novas plantas: não nos limitemos a criar os buracos, mas trabalhamos com antecedência em toda a área e incorporamos abundante adubo maduro.
É possível realizar manutenção, rejuvenescimento e poda de treinamento: as plantas terão até a primavera para se recuperar. Trabalhamos em drupáceos, cerejas, actinídios e também em frutas cítricas.
Os enxertos de broto para dormir são bons em frutas de caroço e frutas de caroço.

Irrigação e fertilização



Neste mês, as operações de irrigação não são mais urgentes: as temperaturas são mais baixas e as chuvas, mais frequentes. Além disso, é supérfluo, se não prejudicial, distribuir água para as plantas que já completaram a maturação: causaremos um crescimento vegetativo desnecessário. Pulverizamos apenas árvores frutíferas que ainda precisam completar seu ciclo, em caso de seca prolongada e altas temperaturas. Normalmente, essa prática é exigida por frutas cítricas e frutas pequenas que têm uma segunda produção no outono.
As fertilizações ainda não são necessárias; é essencial monitorar as espécies frutíferas sensíveis à deficiência de ferro: se observarmos os sintomas, distribuímos quelatos no nível radicular e, para um efeito mais imediato, através da pulverização foliar.

Cuidado do pomar em setembro: pragas e doenças


Para combater patógenos a tempo, é muito importante monitorar regularmente nossas árvores: recomendamos fazê-lo em conjunto com a colheita e nos dias seguintes aos principais eventos climáticos. Retiramos prontamente as frutas danificadas e, se notarmos o aparecimento de criptogramas nas folhas, intervimos o mais rápido possível com produtos de cura.
Para o bagaço, prestamos atenção à explosão de fogo: em muitas regiões é obrigatório o rápido abate ou destruição das partes afetadas para bloquear a propagação.
É uma propensão de período para a propagação de parasitas de vários tipos: podemos controlá-los com piretro, Bacillus Thuringiensis ou espinosade. Para ácaros da cochonilha e aranha vermelha, optamos pelo óleo branco.
Para os criptogramas, é bom evitar com a distribuição periódica de cupric, repetir após as chuvas; para o pêssego na vegetação (especialmente para a bolha), optamos por outros produtos, dada a fitotoxicidade.