+
Jardim

Lisianthus


Rega e pulverização


A planta ornamental, comumente também chamada de Eustoma, é originária do norte e centro do continente americano e se enquadra no grupo familiar específico de Gentianaceae. Este herbáceo perene popular recentemente difundido e popular encontra seu uso principal no embelezamento de espaços interiores, e suas inflorescências, em tons de branco, violeta, rosa e azul, são usadas para recessos decorativos em cerimônias solenes. O crescimento de Lisianthus será lento e gradual, até atingir uma altura que não excederá 50 cm, enquanto a floração ocorrerá no verão. A planta precisará de rega regular: em particular, deverá ser constantemente pulverizada durante as estações primavera e verão, com frequências no meio da semana, se necessário, com limitação adequada de umedecimento durante os períodos frios do ano.

Cuidado e cultura



O Lisianthus encontrará sua acomodação perfeita em residências e escritórios, especialmente nas regiões do norte da Itália, embora não seja impossível vê-lo mesmo em jardins e espaços verdes. Será necessária uma terra macia e cheia de substâncias orgânicas, às quais materiais arenosos e turfosos devem ser convenientemente adicionados para garantir a drenagem, evitando o fenômeno de estagnação da água. Em média, a cada dois anos, o repotting da planta será permitido na primavera, usando recipientes um pouco mais largos para acompanhar e favorecer o correto desenvolvimento radicular. Por outro lado, os trabalhos de poda não serão estritamente necessários: a remoção periódica da folhagem envelhecida e, em geral, das partes agora murchas será suficiente e adequada para evitar o possível aparecimento de doenças.

Fertilização e fertilização



A planta herbácea será fertilizada adequadamente para levar os nutrientes necessários e equilibrados. A fertilização será realizada nas fases de primavera e verão, com freqüência quinzenal recomendada e interrompida pela parte restante da anualidade. De preferência, fertilizantes líquidos devem ser usados, após dissolvê-los na água de pulverização, onde menos frequente para a planta, embora admissível, será o uso de sólidos, à base de pellets e letâmicos. O fertilizante Lisianthus conterá uma prevalência significativa de componentes de potássio e fósforo em detrimento do macrocomponente residual de nitrogênio, bem como um bom suprimento de microelementos, especialmente cálcio junto com magnésio. A insuficiência de fósforo levará a um valor geral mais baixo da floração.

Lisianthus: Exposição e patologias



Esta planta ornamental prospera em um ambiente iluminado e ensolarado, aproveitando a exposição direta à radiação solar por parte do dia, mas se adapta com grande facilidade a locais parcialmente sombreados. Por outro lado, sofre muito com as duras condições térmicas, tanto que requer abrigos e proteções apropriadas no inverno. Os Lisianthus, em conclusão, às vezes podem ser afetados por mofo e podridão nas raízes, devido ao excesso de umidade do ambiente ou à drenagem ineficiente do solo, e atacados por insetos nocivos, como a aranha vermelha e a cochonilha. Nesta última circunstância, será necessário eliminar prontamente a armadilha, usando produtos biológicos e detergentes e removê-los manualmente, se possível, ou usar inseticida específico e eficaz.