Como gerenciar a irrigação


Os nabos criam raízes mais facilmente na presença de um clima ameno. O cuidado com a irrigação é um aspecto a ser levado em consideração, tanto para aqueles que optam pelo cultivo em vasos (pouco difundido, devido ao grande tamanho que a planta adulta), quanto para aqueles que decidem plantar no jardim. ou no jardim. O solo deve estar úmido desde o momento do transplante; é aconselhável, portanto, regar o solo de maneira constante, mas sem exceder, até criar raízes. Na próxima fase, devemos regar as plantas com igual constância, prestando muita atenção também aos agentes atmosféricos e às chuvas: é necessário, de fato, remover as crostas formadas na superfície e evitar a estagnação que levaria ao amarelecimento das folhas.

Cultivo e cuidado



Os nabos preferem um clima ameno, portanto o tipo de cultivo também depende da posição geográfica. Nas áreas mais frias, o período ideal para a semeadura vai de junho até o final do verão; nas áreas mais quentes, dura até outubro-novembro, dependendo das temperaturas. O cultivo de nabos pode ocorrer em vasos ou na horta: no primeiro caso, será necessário obter um vaso grande, pois as sementes serão colocadas a uma distância de cerca de 20 a 30 cm uma da outra, e a planta adulta alcançará grandes dimensões, com uma altura que pode se estender de 40 cm até um metro. Não é necessário usar um solo de qualidade particular, será suficiente usar um solo de textura média, desde que bem drenado. As plantas serão colhidas 50-80 dias após a semeadura, quando as inflorescências são formadas, mas as flores ainda não estão abertas.

Como e quando fertilizar



Durante o cultivo de nabos, é aconselhável evitar a fertilização excessiva, o que pode prejudicar o desenvolvimento da planta e o sabor da fruta. Além disso, é essencial evitar o uso de fertilizantes nitrogenados no momento da semeadura, pois seu acúmulo pode causar danos à saúde. Antes de plantar, você pode distribuir estrume ou composto maduro; seria preferível, no entanto, plantar nabos após um estrume cultivado, para que possam extrair nutrientes do solo já cultivado. Numa fase posterior, para promover o crescimento e desenvolvimento das plantas, podem ser utilizadas ferramentas adicionais, como o superfosfato mineral 19, nitrato de amônio 26 e sulfato de potássio 50. O uso de nitrogênio é recomendado apenas no caso de cultivo em solos particularmente pobres ou culturas esparsas, que lutam para se desenvolver e, em qualquer caso, só devem ser usados ​​quando a colheita já estiver em vigor.

Nabos: possíveis doenças e remédios



Os nabos podem ser cultivados sem a necessidade de pesticidas. Os inimigos que ameaçam esta planta são poucos e insidiosos, mas não muito difíceis de eliminar. A primeira ameaça é constituída pela cavolaia, uma mariposa cujas larvas se alimentam da parte mais macia da planta, deixando excrementos que a levam a apodrecer. Os ovos podem ser removidos manualmente, ou métodos naturais (como tansy) ou produtos químicos específicos podem ser usados. Até os pulgões podem infestar as plantas dos nabos, levando à morte dos mesmos, graças à sua rápida reprodução e à consequente colonização do organismo hospedeiro. Também neste caso, você pode recorrer ao uso de substâncias químicas ou pode servir alguns animais "amigáveis", como joaninhas, besouros ou pássaros (em particular, andorinhas). Finalmente, é útil mencionar a alternariose, causada por um fungo chamado Alternaria. Esta doença manifesta-se com o aparecimento de manchas pretas nas folhas e pode ser erradicada com tratamentos à base de cobre.


Vídeo: "Nós tenemos muitos nabos" - Galandum Galundaina (Dezembro 2020).