Frutas e Legumes

Cultivo de alcachofra de Jerusalém


Como cuidar da alcachofra de Jerusalém


Antes de tudo, deve ser esclarecido que a alcachofra de Jerusalém nunca é plantada a partir das sementes e nunca é colocada no canteiro. A operação é muito mais simples: basta encontrar a alcachofra de Jerusalém no supermercado ou no confiável estande de vegetais. Exatamente como é feito com a batata, cortamos o tubérculo e secamos quando ele é capaz de emitir brotos. Depois, nossa alcachofra de Jerusalém estará pronta para ser semeada, obviamente com o broto voltado para cima, a uma profundidade de pelo menos 10 cm. É aconselhável confiar em um produto orgânico, tanto no fato de que, uma vez que não foi tratado, germinará melhor, como por uma questão de segurança e qualidade. A alcachofra de Jerusalém é um tubérculo muito raro, mas muito fácil de cultivar. A distância entre as plantas deve ser superior a meio metro. As operações de semeadura ocorrem no final da temporada de inverno e a alcachofra de Jerusalém nos dará não apenas um excelente produto, mas também lindas flores.

Cultivo de alcachofra de Jerusalém: como irrigar



Cultivo de alcachofra de Jerusalém: o abastecimento artificial de água é praticamente inútil. Ao decidir dedicar uma parte do jardim a este tubérculo, será mais do que suficiente para deixar a natureza seguir seu curso. De fato, teremos que ter muito cuidado para limitar o desenvolvimento de novas plantas, pois é uma praga. A alcachofra de Jerusalém, de fato, ocupa em pouco tempo todo o espaço que dedicamos e, se não limitarmos adequadamente a área, será muito difícil se livrar da planta que também substituirá as culturas subsequentes subtraindo os nutrientes. A alcachofra de Jerusalém cresce espontaneamente nas margens dos rios, onde encontra seu ambiente ideal. Portanto, é recomendável tentar reproduzir essas condições, pelo menos evitando solos extremamente áridos. De resto, não precisaremos pensar em nenhum sistema de irrigação.

Solo e fertilização



A alcachofra de Jerusalém não precisa de nenhuma fertilização especial. Pelo contrário, exceder a ingestão artificial de nutrientes pode ser também prejudicial desnecessário. Uma vez que o solo tenha sido preparado com uma escavação profunda, podemos eventualmente prosseguir com a adição de adubo ou composto maduro. Ao optar por esta segunda solução, apenas o composto doméstico ficará bem, evitando produtos químicos e deixando o cultivo de alcachofra de Jerusalém o mais natural possível. A alcachofra de Jerusalém é adequada para todos os tipos de terreno, exceto aqueles onde é impossível cultivar vegetais porque eles são caracterizados por extrema secura. Portanto, não é necessário usar produtos granulares ou fertilizantes minerais. A alcachofra de Jerusalém pode se adaptar tanto a um solo solto quanto a um solo úmido e compacto.

Exposição, doenças, coleção



A alcachofra de Jerusalém também se adapta a uma exposição não a todo o sol, podendo ficar atrás de outras plantas ou em uma área do jardim que nunca foi cultivada. Como todas as plantas, no entanto, ele gosta dos raios do sol durante a maior parte do dia. A alcachofra de Jerusalém é naturalmente resistente a doenças e é muito difícil de ser atacada por pragas ou insetos. Portanto, é fortemente desaconselhado o tratamento de culturas com pesticidas ou outros produtos químicos. Os ratos gostam desse tubérculo e a única desvantagem pode ser representada pelo fato de eles se alimentarem da nossa alcachofra de Jerusalém. A colheita é feita cavando em profundidade, exatamente como você faz para as batatas. Pode ser colhido para escalar e, geralmente, esse tipo de cultivo é muito simples e produtivo.