Frutas e Legumes

Oidium ou maçã branca mal


Oidium ou Mal Bianco del Melo


Oídio ou macieira branca é uma doença causada por um fungo, chamado Podosphaera leucotricha, que dá origem a uma forma agâmica chamada Oidium farinosum. Os sintomas são claramente reconhecíveis, mesmo por um neófito: a doença se manifesta por uma fina camada branca em pó, semelhante à farinha, que cobre as folhas e os brotos. Com o passar dos dias, a camada fica mais espessa e também pode se espalhar por flores e frutos; a folhagem parece deformada, com zoneamento marrom, e pode até cair. Os danos que causa no pomar podem ser muito graves, especialmente se o pico de infecção ocorrer no início da primavera: a doença ataca os brotos de folhas e flores, impedindo que a planta produza frutos. Essa patologia dificilmente consegue atacar todas as flores de uma macieira, mas com grande facilidade causa uma forte diminuição nos frutos produzidos, com óbvios danos econômicos.

Desenvolvimento de doenças



As primeiras manifestações ocorrem no início da primavera, no auge do desenvolvimento dos novos brotos: os esporos passam o inverno já dentro dos brotos, ou reparam as fendas da casca e saem assim que o clima se torna ameno. A partir do micélio inicial também desenvolvem órgãos que perfuram a cutícula foliar e os vários órgãos do fungo, que produzem esporos adicionais, o que dará origem a infecções secundárias ao longo dos meses. Portanto, mesmo que as primeiras infecções tenham uma pequena entidade, elas devem ser erradicadas ou existe o risco de que durante as semanas de primavera ocorram mais infecções por oídio ou maçã branca, que afetarão cada vez mais partes das plantas. O clima pode ser favorável ao desenvolvimento desta doença fúngica, que tende a se desenvolver principalmente com um clima ameno e levemente úmido. O calor do verão e as fortes chuvas tendem a interromper a ação desse fungo prejudicial.

A luta contra o oídio



A luta é importante tanto no pomar quanto no jardim da casa ou no jardim: essa doença, transportada pelo vento, pode se espalhar rapidamente e afetar muitas variedades diferentes de vegetais, dificultando seu desenvolvimento. No caso de plantas já infectadas, é muito importante, no início da primavera, remover completamente os rebentos jovens afetados pela doença, de modo a remover o micélio em todas as suas formas, impedindo-o de desenvolvimento adicional. Durante os meses de inverno e outono, é bom podar plantas limpas, removendo os galhos danificados e fracos, onde os parasitas podem ter surgido. A luta química é praticada com produtos à base de enxofre, espalhados por toda a folhagem, que também são úteis no tratamento de outras doenças fúngicas. Também podem ser utilizados produtos sistêmicos, que entram na circulação linfática da planta e, portanto, têm um efeito mais duradouro.

Oidium ou maçã branca mal: tratamentos no pomar



O pomar atrai uma longa série de pragas, animais e fungos, além de bactérias e outras doenças. Embora as árvores frutíferas não sejam cultivadas com o objetivo de produzir frutas para o mercado, é aconselhável conhecer as principais doenças que podem afetar as árvores, a fim de realizar os tratamentos necessários para erradicá-las. Isso é pelo bem de nossas árvores e também para impedir que essas infestações se espalhem pelas árvores de nossos vizinhos. Não é necessário realizar tratamentos com produtos tóxicos ou particularmente agressivos, porque a maioria das doenças fúngicas é erradicada com o uso (também preventivo) de preparações de enxofre ou cobre, que também são permitidas na agricultura orgânica. Esses tratamentos geralmente são realizados no final do inverno, antes que os botões se ampliem e antes da floração; e às vezes os tratamentos continuam no final da primavera, quando os frutos já estão presentes nas plantas. Evite sempre realizar tratamentos durante o período de floração, pois danificariam ou perturbariam as abelhas e outros insetos polinizadores.